• (11) 4013-9191
  • sistema.cont@uol.com.br

Se você é empreendedor certamente já deve ter ouvido falar no fluxo de caixa e DRE – Demonstrativo de Resultado do Exercício. É possível, no entanto, que você não saiba a importância e o funcionamento destes documentos.

Não importa o tamanho da sua empresa: saber para que serve e fazer uso do fluxo de caixa e DRE é fundamental para a organização e crescimento sustentável de qualquer negócio.

E para ajudar você a compreender estes dois documentos e conhecer as diferenças entre eles, preparamos este artigo. Continue a leitura e entenda mais sobre o fluxo de caixa e DRE e suas diferenças!

O que é o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa – também conhecido como DFC – é um documento que permite ao empreendedor acompanhar a situação financeira da empresa no dia a dia. Neste documento, deve-se encontrar informações sobre o saldo na conta bancária da organização, as projeções de entrada e saída de dinheiro, entre outras.

O gerenciamento de contas a pagar e receber e a organização financeira no curto prazo, portanto, é possível graças ao demonstrativo de fluxo de caixa.

O que é o DRE?

Já o Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE) é o balanço da empresa. Trata-se de uma espécie de fotografia da situação financeira da companhia, que deve ser providenciada periodicamente – preferencialmente a cada mês.

No DRE devem constar as receitas e despesas da organização. Serão estes dois dados financeiros que mostrarão se a empresa obteve lucro ou prejuízo no período analisado.

Este raio-x financeiro por meio do Demonstrativo de Resultados do Exercício é uma ferramenta indispensável para qualquer empreendedor que deseja acompanhar o progresso do seu negócio, a viabilidade de seus projetos e ainda o momento financeiro da organização.

Imposto de renda

DRE x Fluxo de Caixa: entenda as diferenças

Como você pode perceber, tanto o fluxo de caixa quanto o DRE são documentos que auxiliam o gestor no acompanhamento financeiro da sua empresa. Contudo, estes indicadores têm objetivos bastante distintos.

Enquanto o fluxo de caixa permite o acompanhamento de dinheiro disponível em caixa no curto prazo, o DRE permite um acompanhamento periódico do retrato financeiro da empresa.

Para simplificar a compreensão, imagine que sua empresa concretizou uma venda e gerou uma nota fiscal (sobre a qual pagará tributos). A quitação destes impostos deverá ser feita no prazo de um mês.

Neste caso, o fluxo de caixa mostrará que a empresa recebeu pelo negócio concretizado e indicará uma despesa para o mês seguinte. Já o DRE trará o imposto registrado no mês vigente, como um passivo a ser quitado.

Percebeu a diferença?

Por que utilizar o Fluxo de Caixa e DRE na sua empresa?

Ter o entendimento sobre fluxo de caixa e DRE e saber como utilizá-los para manter o controle financeiro da empresa sempre em dia é tarefa importantíssima para qualquer empreendedor.

Sem saber como funciona e como se analisa estes dois indicadores, o gestor do negócio corre sérios riscos de ver sua empresa passar por dificuldades financeiras e fracassar no mercado. Afinal, ele jamais saberá, de forma precisa, como seu negócio tem evoluído financeiramente.

Como utilizar e interpretar estes documentos?

Tanto o fluxo de caixa quanto o DRE, como você já percebeu, são indicadores essenciais para qualquer empresa. E você não deve deixar de utilizá-los em prol do seu negócio.

Mas, especialmente entre os pequenos empreendedores, pode surgir muitas dúvidas sobre como utilizar e interpretar estes documentos adequadamente. Afina, como usá-los de maneira correta?

A verdade é que o acompanhamento do fluxo de caixa e do DRE é bastante simples para qualquer empreendedor. Só é preciso mapear as movimentações financeiras, custos e despesas – no caso do fluxo de caixa – e considerar o balanço total da empresa (incluindo suas operações em determinados períodos e o resultado apurado.

Desta maneira, você conseguirá identificar a saúde financeira do seu negócio no curto prazo – com o fluxo de caixa e em prazos mais longos – a partir do DRE, permitindo também que você acompanhe se a empresa vem gerando lucro ou prejuízos.

Conclusão

Acompanhar as movimentações financeiras da sua empresa e manter um controle do balanço do negócio ao longo do tempo são tarefas fundamentais para qualquer empreendedor que deseja manter sua organização sempre saudável e sustentável.

Sem o fluxo de caixa e DRE, o gestor terá grandes dificuldades para avaliar seu negócio do ponto de vista financeiro e não conseguirá identificar eventuais problemas relacionados às finanças corporativas.

Portanto, se você é um empreendedor e ainda não utiliza o fluxo de caixa e DRE, este pode ser o momento certo para rever seu comportamento em relação ao seu negócio e começar a prestar mais atenção ao fluxo de caixa da sua empresa e ao balanço financeiro da organização ao longo dos meses. 

Fonte: Jornal Contábil - 01/04/2020